O deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ) voltou a enfrentar o ministro da Justiça, Sérgio Moro, em audiência na Câmara dos Deputados. O parlamentar questionou o silêncio do ex-juiz federal sobre o elo da família Bolsonaro com as milícias.

“Eu não tenho outra coisa a dizer a não ser chamar o ministro da Justiça, que blinda a família Bolsonaro em relação a esses temas, de capanga da milícia. É isso que ele é”, disparou o parlamentar.

‌Antes de falar do ministro, Glauber criticou os parlamentares bolsonaristas presentes na sessão. “Vocês ficam inquietos com a minha fala porque querem que a milícia no Brasil não seja devidamente apontada como crime organizado porque ela faz parte da estruturação do projeto de poder dos senhores”, afirmou.

Moro ainda respondeu chamando o parlamentar de “incompetente” e a sessão teve que ser encerrada antes do previsto para não gerar uma confusão maior. A sessão tinha como objetivo debater a PEC 199/19, da Prisão em Segunda Instância, proposta pelo ministro.

“Juiz Ladrão”

Durante audiência da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, em julho do ano passado, com a presença de Sérgio Moro, Braga afirmou que o ministro entraria para história como um juiz ladrão. “O senhor vai entrar para história como um juiz ladrão e corrompido que ganhou uma recompensa para fazer com que a democracia brasileira fosse atingida”, declarou.‌
A fala veio em meio às revelações das reportagens da Vaza Jato. Braga chegou a ser mandado para o Conselho de Ética por bolsonaristas, mas foi absolvido.

Embedded video
“Sou do tempo em que chamavam-se as pessoas de senhor e senhora”, diz Moro após ser chamado de “capanga da milícia”
Ministro fez postagem um tanto quanto confusa após a sessão na Câmara em que foi confrontado pelo deputado Glauber Braga

Sergio Moro

@SF_Moro

Sou do tempo em que chamavam-se as pessoas de senhor e senhora e os erros dos outros de equívocos.Usava-se muito por favor ou por gentileza nas frases.Alguns infelizmente, ainda bem que de deputados a absoluta minoria,perderam muito da urbanidade.Grato pela solidariedade Ministro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 11 =