O Ministério da Defesa, ocupado pelo general Braga Netto, publicou uma ordem do dia em alusão à data de 31 de março, marcada pelo golpe de 1964, que deu início à ditadura militar no Brasil. Foram 58 anos de trevas, torturas, corrupção, desaparecimentos, ausência de democracia e liberdades.

Braga Netto alega no documento que o século 20 “foi marcado pelo avanço de ideologias totalitárias que passaram a constituir ameaças à democracia e à liberdade”. Ele afirma que a população brasileira rechaçou tanto a Intentona Comunista, de 1935, quanto as forças nazifascistas na Segunda Guerra Mundial, que terminou em 1945.

– Ao final da guerra, a bipolarização global, que fez emergir a Guerra Fria, afetou todas as regiões do globo, o que trouxe ao Brasil um cenário de incertezas com grave instabilidade política, econômica e social, comprometendo a paz nacional – diz Braga Netto.

No domingo (27/03), em Brasília, durante evento de lançamento de sua pré-candidatura à reeleição pelo PL, o presidente Jair Bolsonaro enalteceu o período de trevas e homenageou o coronel Brilhante Ustra – que era conhecido como “o pavor de Dilma Rousseff”, por ter comandado as sessões de tortura contra a ex-presidente na ditadura.

– Eu não podia deixar um velho amigo que lutou por democracia e teve a reputação quase destruída sem ser citado naquele momento – disse Bolsonaro no início desta semana, nas vésperas do aniversário do golpe militar.

Abaixo, leia a íntegra da ordem do dia nas Forças Armadas:
ORDEM DO DIA alusiva ao dia 31 de março

Brasília (DF), 30/03/2022 – O Movimento de 31 de março de 1964 é um marco histórico da evolução política brasileira, pois refletiu os anseios e as aspirações da população da época.

Analisar e compreender um fato ocorrido há mais de meio século, com isenção e honestidade de propósito, requer o aprofundamento sobre o que a sociedade vivenciava naquele momento. A história não pode ser reescrita, em mero ato de revisionismo, sem a devida contextualização.

Neste ano, em que celebramos o Bicentenário da Independência, com o lema “Soberania é liberdade!”, somos convidados a recordar feitos e eventos importantes do processo de formação e de emancipação política do Brasil, que levou à afirmação da nossa soberania e à conformação das nossas fronteiras, assim como à posterior adoção do modelo republicano, que consolidou a nacionalidade brasileira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 9 =