Na quinta-feira passada (30), parlamentares neofascistas da Argentina, seguidores do presidente Javier Milei, “El Loco”, promoveram um evento no Congresso Nacional, em Buenos Aires, intitulado “Censura: liberdade de expressão e direitos humanos no Brasil”. O convescote contou com a presença de deputados bolsonaristas como Eduardo Bolsonaro (PL-SP), Julia Zanatta (PL-SC) e Marcel Van Hattem (Novo-RS).

Charge: Fredy Varela

Numa cena patética, eles utilizaram a tribuna para pedir asilo político aos terroristas que participaram dos atos golpistas do 8 de janeiro de 2023 e que estão foragidos da Justiça no Brasil. Segundo registro do site UOL, “o deputado gaúcho Marcel Van Hattem pediu que a Argentina acompanhasse os brasileiros que precisam de proteção e estimou que haverá mais de cem ‘refugiados políticos’ nos próximos dias”.
“Estou aqui para abordar a questão dos brasileiros que hoje moram na Argentina e não podem voltar ao Brasil. Pelo contrário, são pessoas que têm opiniões contrárias ao crime e principalmente à política e que hoje são condenadas no Brasil a passar anos de prisão. É por isso que estamos aqui no Congresso Nacional da Argentina para pedir ajuda ao governo e aos deputados para que estas pessoas possam viver em liberdade”, bravateou o parlamentar, que é famoso por espalhar fake news.

Foragidos e outros criminosos
Segundo a reportagem, uns 20 brasileiros fizeram fila na entrada no prédio, mas não puderam ingressar no plenário. Os “patriotários” foragidos estavam acompanhados pela advogada Carolina Siebra, que se apresenta como membro da Associação de Famílias e Vítimas de 8 de janeiro. “Embora os foragidos não tenham podido entrar no evento oficial por não constarem da lista de convidados, eles aguardavam os deputados na entrada do Palácio Legislativo, em Buenos Aires, à espera de manifestações de apoio”.
“O UOL revelou que ao menos nove pessoas acusadas de participar da tentativa de golpe do 8 de janeiro fugiram do país, e algumas seguiram para a Argentina. Mas esse número pode ser ainda maior. Eles foram condenados pelo STF por diversos crimes, como tentativa de golpe, associação criminosa e depredação de patrimônio púbico, e são réus por envolvimento em atos golpistas… Embora a maioria não tenha querido falar com a imprensa, vários confirmaram que estão na Argentina há pelo menos um ou dois meses e que tentam obter asilo permanente”, descreve o site.
O evento promovido pelos parlamentares neofascistas da Argentina reuniu vários criminosos brasileiros, alguns foragidos da Justiça. Será que os deputados bolsonaristas voltaram a utilizar recursos públicos para mais essa viagem de “turismo político”? Eles sofrerão alguma repreensão do Conselho de Ética da Câmara Federal?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 9 =