Funcionário negro come ovos sem pedir e é torturado com relho em cena que remete ao período da escravidão. Agressores foram presos e polícia descobriu outros crimes

 A Polícia Civil de Minas Gerais anunciou nesta semana a prisão de dois irmãos que torturaram um funcionário que teria comido oito ovos de galinha sem permissão. As imagens do crime provocaram revolta nas redes sociais (veja aqui o vídeo). A vítima trabalhava em uma construção na fazenda de um dos irmãos.

O crime aconteceu em São Sebastião do Maranhão, na Vale do Rio Doce, Minas Gerais, e o torturado foi agredido com chicotadas na região do rosto, das costas e nos membros inferiores, além de golpes de turquesa.

A Polícia Civil informou ainda que passou seis meses investigando o caso até deflagrar, na segunda-feira (19) a operação “Al Capone”. Os policias cumpriram mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva. .

Segundo a investigação, o crime de tortura ocorreu em setembro de 2017 e foi gravado em vídeos pelos próprios agressores. As imagens foram divulgadas nas redes sociais por um dos irmãos para “servir de exemplo” do que poderia acontecer com os desafetos dos irmãos.

De acordo com a PCMG em Santa Maria do Suaçuí, as investigações apontaram ainda suspeitas de prática de tráfico de drogas.

A operação resultou na prisão dos três suspeitos e na apreensão de mais de R$ 6 mil em dinheiro, um cheque no valor de R$ 2 mil, várias roupas camufladas semelhantes às utilizadas pelo Exército, diversos documentos comprovando intensa movimentação financeira, relógios de luxo, vários aparelhos celulares, além de quatro automóveis (sendo um deles blindado) e uma motocicleta. Todos esses veículos apresentavam indícios de adulteração.

Durante as buscas na residência dos irmãos, um deles chegou a quebrar o celular e escapar do local, momento em que foi contido pelos policiais e conduzido à Delegacia de Polícia Civil em Santa Maria do Suaçuí.

Na casa do rapaz que ajudou os torturadores, os policiais encontraram diversas aves da fauna silvestre, sendo que a propriedade das aves foi assumida pelo pai do suspeito, que foi preso em flagrante e também conduzido à delegacia.

Segundo o delegado Rodrigo Antunes, de Minas Gerais, o nome da operação é em alusão ao gângster Al Capone, que foi preso pelo crime de sonegação fiscal. “No caso dos irmãos, nós os prendemos pelo crime de tortura , mesmo sendo suspeitos de atuarem no tráfico de drogas na região”, disse.

Revolta saber que o trabalhador ainda passa por essas situações vexatórias, esse é o Brasil que não quero, isso é o Brasil que a impressa não mostra !! E o governo golpista, dificultando as fiscalização do Ministério Publico do Trabalho. (comeu 2 ovos sem pedir)

————————————————————————————————————————————————————— 

Relho  é um artefato feito de tiras de couro trançadas, ou uma tira torcida, destinado a infligir estímulo doloroso a um animal.

Usa-se o relho para apressar animais de montaria e corrida competitiva e também animais de tração como cavalos, bois e mulas.

Outrora foi também usado para castigo físico, a exemplo do chicote. Devido ao seu carácter pesado o relho causa dor muito elevada e pode dar origem a graves problemas de saúde quando infligido na pele humana. Por ser um instrumento perigoso o seu uso em humanos enquanto instrumento de castigo foi banido há muitos anos.(Wikipédia)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − três =