Com o alcance de 80,94% da população já imunizada contra a Covid-19 com a administração de duas doses de vacinas (Astrazeneca, Coronavac, Pfizer) ou a dose única da Janssen, os 54 municípios que integram a área de atuação da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros (SRS) apresentam neste início de ano queda brusca dos óbitos ocasionados pelo novo coronavírus. Outro dado importante é que, em janeiro deste ano, 60% das pessoas internadas e 67% dos óbitos notificados em virtude da doença tiveram como vítimas pessoas que não haviam completado o esquema vacinal contra a Covid-19, com administração de duas doses de imunizantes. Os resultados dos efeitos positivos do avanço da campanha de vacinação foram apresentados na quinta-feira (3) durante reuniões das Comissões Intergestores Bipartite (CIB), realizadas pela Superintendência Regional de Saúde. Participaram gestores municipais, dirigentes do Conselho de Secretarias de Saúde de Minas Gerais (Cosems) e coordenadores das equipes técnicas da SRS.

Um dos destaques do Boletim Epidemiológico da Superintendência Regional de Saúde aponta que em janeiro no ano passado foram confirmados 5.173 casos de Covid em 54 municípios, com a ocorrência de 96 óbitos. Já em janeiro deste ano, mesmo com a notificação de 8.468 casos confirmados da doença, o número de internações confirmadas como sendo causadas pela Covid caiu para dez, com a notificação de três óbitos.

A coordenadora de vigilância em saúde da SRS, Agna Soares da Silva Menezes, ressaltou que a vacinação contra a Covid-19 tem ocasionado a queda da taxa de letalidade da doença. Em 2020 a taxa de letalidade era de 1,82%, com ocorrência de 579 óbitos. Já no ano passado a taxa de letalidade aumentou para 2,02%, com a notificação de 1.914 óbitos no Norte de Minas. Neste ano, como consequência do avanço da campanha de vacinação, a taxa de letalidade caiu para 0,10%, com a notificação de 15 óbitos em 86 municípios.

“Os dados evidenciam que a vacinação contra a Covid é de fundamental importância para que ocorra a redução dos casos graves da doença e, consequentemente, dos óbitos. Mesmo com o aumento dos casos de Covid notificados em janeiro deste ano, o número de óbitos não acompanhou a elevação da incidência da doença”, ressalta Agna Menezes. A coordenadora lembra que, enquanto no Norte de Minas a taxa de letalidade caiu para 0,10%, no contexto epidemiológico do país esse percentual está em 0,25%.

Também como consequência positiva do avanço da campanha de vacinação, dos 119 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) disponibilizados no Norte de Minas para o atendimento de pacientes acometidos pela Covid, a média está em 21 ocupados. Isso representa 17,65% de taxa de ocupação. Por outro lado, dos 1.336 leitos clínicos existentes na região, 94 estão ocupados com pacientes internados em virtude da Covid-19, o que representa taxa de 7,04% de ocupação. Na quinta-feira, os 54 municípios da SRS de Montes Claros contabilizaram a aplicação da primeira dose de imunizantes em 850.725 pessoas. Isso representa 88,01% da população. Já a dose de reforço (terceira) já foi aplicada em 183.999 pessoas, o que representa 19,04% da população.

Dez municípios que compõem a área de atuação da SRS se destacam por apresentarem os maiores percentuais de cobertura vacinal, com aplicação de duas doses de imunizantes contra a Covid-19 ou a dose única da vacina da Janssen. São eles: Engenheiro Navarro (95,6%); Mato Verde (91,7%); Guaraciama (91,2%); Monte Azul (89,3%); Rubelita e Claro dos Poções (88,4%); Glaucilândia (87,7%); Montes Claros (88,4%), Santa Cruz de Salinas (87,3%) e Berizal (86,2%).

Durante as reuniões de CIB realizadas por videoconferência, a superintendente regional de saúde de Montes Claros, Dhyeime Thauanne Pereira Marques reforçou a importância dos gestores municipais fortalecerem as ações de busca ativa da população ainda não vacinada contra a Covid-19, bem como das pessoas que ainda não tomaram a dose de reforço.

“É de suma importância que os municípios atualizem o cadastro das pessoas já vacinadas nos sistemas de registro do Ministério da Saúde e no painel vacinômetro mantido pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Caso algum município esteja enfrentando dificuldades para avançar a vacinação da população ou registrar os dados, a equipe técnica da Superintendência Regional de Saúde está à disposição para ajudar no encaminhamento de soluções”, disse a superintendente.

Via Jornal Gazeta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 14 =