Adélio, a irmã Maria das Graças e os advogados Edma e Alfredo: primeira visita (Foto: Rede social, divulgação e Joaquim de Carvalho)

Maria das Graças fez a revelação depois de tentar visitar Adélio pela 2a.vez, o que não conseguiu por falha do presídio federal de Campo Grande. Joaquim de Carvalho acompanhou

A dona de casa Maria das Graças Ramos de Oliveira, irmã de Adélio, disse que recebeu uma oferta de dinheiro, depois que sua entrevista à TV 247 foi publicada, em dezembro passado.

“Uma pessoa foi até a minha casa, disse que era jornalista e me ofereceu dinheiro para dar entrevista”, comentou. O homem, que estava sozinho num carro branco, insistiu, e ela disse ter respondido rispidamente. Como não cessou a insistência, o marido de Maria das Graças teria comentado:

“Você não está vendo que ela não quer?”.

Maria das Graças fez a revelação na entrevista que concedeu a Joaquim de Carvalho, sexta-feira da semana passada, em Montes Claros, para onde o repórter foi para acompanhar sua segunda visita virtual a Adélio, que se encontra no presídio federal em Campo Grande, cumprindo medida de segurança por conta do episódio de Juiz de Fora em que Bolsonaro foi internado na Santa Casa de MIsericórdia da cidade, para tratar um ferimento.

Maria das Graças disse não ter perguntado o nome de quem lhe ofereceu dinheiro, nem anotado a placa do carro. “Estava muito nervosa. Meu irmão não está à venda”, afirmou.

Considerado inimputável, por ser doente mental, segundo laudo psiquiátrico, Adélio está há quatro anos e meio em cela isolada no presídio.

Depois de muita insistência, a irmã conseguiu realizar sua primeira visita ao irmão em dezembro. Foram apenas vinte minutos de conversa.

O presídio marcou a segunda visita para sexta-feira da semana passada (03/03), mas o encontro virtual não ocorreu, porque o Departamento Penitenciário (Depen), do Ministério da Justiça, não enviou o código para ingresso na sala online.

Maria das Graças voltou para casa frustrada. “Não vou desistir. Quero o bem do irmão e ouvir dele o que aconteceu lá (Juiz de Fora)”, disse.

Sua luta não tem sido fácil. Desde dezembro, ela tenta se tornar curadora de Adélio, para afastar definitivamente o advogado Zanone Júnior, que o irmão de Maria das Graças denunciou por entender que ele não defendia seus interesses.

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul recebeu a ação, depois que a Justiça em Montes Claros se declarou incompetente por não ser o foro adequado. Mas até agora a justiça sul-mato-matogrossense não tomou nenhuma providência.

Zanone deixou de ser advogado de Adélio, mas o juiz federal Bruno Savino, de Juiz de Fora, o nomeou curador processual.

“Ele (Zanone) nunca procurou a família”, disse Maria das Graças.

A entrevista de Maria das Graças está publicada na íntegra na TV 247. Veja o vídeo abaixo.

YouTube player

Via Brasil 247

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 2 =