Nesta sexta-feira (24), um comboio de tanques militares e veículos blindados de Israel foi avistado deixando a Faixa de Gaza e cruzando a fronteira israelense logo após o início da trégua acordada com o grupo palestino Hamas.

Comboio israelense deixa Gaza em direção a Israel durante trégua com o Hamas, em 24 de novembro de 2023 — Foto: REUTERS/Amir Cohen

O cessar-fogo é uma das disposições do primeiro grande pacto firmado entre os dois desde que passaram a se enfrentar, cerca de um mês e meio atrás.

A trégua temporária, em vigor desde as 7h no horário local (2h, horário de Brasília), marca um intervalo de quatro dias no conflito que possibilitará a libertação de reféns capturados.

Minutos após o início da pausa, Israel ativou alarmes para alertar sobre possíveis ataques com foguetes em comunidades israelenses na área da fronteira.

Um porta-voz do governo israelense denunciou que o Hamas lançou um foguete contra o país, violando os termos do acordo. Felizmente, nenhum dano foi relatado.

Enquanto isso, ao sul da Faixa de Gaza, residentes palestinos foram vistos retornando às suas casas na região de Khan Younis. Caminhões também foram testemunhados cruzando a passagem de Rafah, na fronteira com o Egito, transportando suprimentos.

Campo de refugiados em ruínas na Faixa de Gaza – Foto: Yahya Hassouna/AFP

Vale destacar que, antes do início da trégua, as Forças de Defesa de Israel conduziram uma operação para destruir uma rota de túneis na área do Hospital Al-Shifa, um dos mais importantes de Gaza, pouco antes do início da pausa.

De acordo com comunicado dos militares israelenses, “as Forças de Defesa de Israel concluíram os seus preparativos operacionais de acordo com as linhas de combate da pausa.”

Conforme o acordo, os primeiros reféns mantidos pelo Hamas devem ser libertados ainda nesta tarde. Prevê-se que mais de 50 reféns serão libertados nos próximos dias. Israel se comprometeu a estender a trégua em um dia para cada 10 reféns adicionais libertados pelo grupo terrorista.

O acordo também inclui a libertação de 150 palestinos detidos como prisioneiros por Israel. Durante a pausa no conflito, Gaza receberá caminhões com água, comida, assistência médica e combustível.

Minutos antes do início da trégua, as Forças de Defesa de Israel divulgaram um vídeo do porta-voz Avichay Adraee, enfatizando que a guerra ainda não terminou. “A pausa humanitária é temporária. O norte da Faixa de Gaza permanece uma zona de guerra perigosa”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + um =