Por causa das inúmeras reportagens em defesa do meio ambiente e da sustentabilidade, denunciando infrações ambientais e divulgando os bons e significativos trabalhos realizados na área, a jornalista Maria Cecília foi a homenageada com o Prêmio Mérito Ambiental Professor Ivo das Chagas, versão 2019, na categoria Imprensa.

A solenidade foi realizada no auditório da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, no dia 19 de setembro. A homenageada recebeu um troféu em formato de formiga, feito pelo artista plástico Gu Ferreira com o auxílio dos reeducandos do programa “Para Além das Prisões”. Maria Cecília de Souza Oliveira é natural da cidade de Coração de Jesus e há mais de 30 anos reside e trabalha em Montes Claros. Já atuou na Rádio Terra, no extinto Jornal do Norte, na extinta TV Geraes, no Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e na Secretaria Estadual de Educação. Atualmente trabalha como produtora de reportagem na Intertv Grande Minas e como assessora de Imprensa do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar Minas.

PRÊMIO – A homenagem foi oferecida para empresas e ambientalistas que se destacaram na defesa e preservação do Meio Ambiente. É promovida, anualmente, pela Prefeitura de Montes Claros, através do Conselho Municipal de Defesa e Conservação do Meio Ambiente (Codema). A solenidade contou com as presenças de vereadores, deputados, representantes do Ministério Público e outras lideranças políticas e comunitárias de Montes Claros e Norte de Minas.

Os outros escolhidos foram: José Simael Ferreira (Produtor Rural); Departamento Geral de Biologia da Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes (Educação); Cerâmica Montezuma (Indústria); Grupo Albatroz (Comércio); Instituto Estadual de Florestas – IEF (Órgão Público); e a Casa de Acolhimento Amor e Vida (Terceiro Setor). O prefeito de Montes Claros, Humberto Souto, foi o escolhido na categoria Ambientalista.

IVO DAS CHAGAS – O nome do prêmio é uma homenagem ao professor Ivo das Chagas, que faleceu recentemente. Ele foi um dos maiores estudiosos sobre cerrado no Brasil, com trabalhos de referência mundial sobre geografia tropical, ecologia vegetal, cartografia, metodologia e pesquisa, e organização do espaço. Era conhecido no Norte de Minas como o “Pai do Cerrado”, já que sempre o defendeu ardorosamente.

Fonte: Prefeitura de Montes Claros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × um =