Músico se projetou com o “forró pé de serra” , gravou discos e fez apresentações em BH e São Paulo. Ele animou festas com milhares de pessoas

Compositor e forrozeiro Zé Lu morreu aos 62 anos (foto: Redes sociais/divulgação)

Por Luiz Ribeiro – Estado de Minas

O compositor e sanfoneiro José Luiz Pereira da Silva, o Zé Lu, morreu, aos 62 anos, em Montes Claros, no Norte de Minas, na madrugada desta quarta-feira (5/07).

Com vários discos gravados, Zé Lu tornou-se muito conhecido no Norte do estado e em outras regiões, por animar festas populares à base do “forró pé de serra”. Também fez apresentações em Belo Horizonte e São Paulo.

O cantor e compositor Téo Azevedo, que também é natural do Norte de Minas, divulgou nota e ressaltou a trajetória e o talento do sanfoneiro, do qual produziu diversos discos.

“Zé Lu, além de ser um músico fantástico e polivalente, foi um dos maiores amigos que tive na vida. Vem da dinastia dos grandes sanfoneiros raiz do norte de Minas como: Geraldo Colares, Piroleta Júnior, Zé do Jipe, Geraldo Sanfoneiro, Ezequiel, Zia e outros grandes companheiros”, afirma Azevedo.

Ele lembra que durante mais de 30 anos, Zé Lu integrou o Terno da Folia de Reis de Alto Belo (distrito de Bocaiuva, liderado pelo próprio Teo Azevedo, nascido no lugar), tocando rabeca, violão, viola ou mesmo cavaquinho, além de ajudar nos cantos de reis.

Zé Lu iniciou o trabalho musical como integrante do “Trio Mundo Novo”, formado em Montes Claros, na década de 1980 e que gravou um LP. Depois, seguiu carreira solo, se dedicando exclusivamente ao forró.

Ele formou o grupo “Zé Lu e Banda”, com acompanhamento do zabumba e do triângulo. O músico comandou festas populares com a participação de milhares de pessoas em Montes Claros, como o “Forró do Pentáurea” (no clube campestre homônimo), a “Festa do Pequi” e a Exposição Agropecuária Regional (Expomontes).

A morte do compositor e forrozeiro foi lamentada por artistas e outras pessoas ligadas à música. “Zé Lu foi um grande artista, um ser humano espetacular e muito instrumentista. Foi uma grande referência para mim e para os demais sanfoneiros de Montes Claros e região”, declarou o professor de música Marcionílio Martins Rocha Filho.

O artista popular morreu, em decorrência de complicações renais e de um quadro de diabete, na Santa Casa de Montes Claros, onde estava internado. O corpo dele está sendo velado em uma funerária, na Vila Guilhermina, em Montes Claros, onde o sepultamento foi marcado para o final desta quarta-feira.

Antes, às 16 horas, um grupo de artistas vai prestar uma homenagem especial a Zé Lu, convocada pelo compositor Téo Azevedo. Nota da Prefeitura A Prefeitura de Montes Claros divulgou nota, lamentando a morte do compositor e forrozeiro Zé Lu.

“A Prefeitura de Montes Claros lamenta profundamente a morte do cantor e sanfoneiro José Luís Pereira da Silva, o nosso Zé Lú.Natural de Aparecida do Mundo Novo, distrito de Montes Claros, Zé Lú utilizou sua arte para honrar e dignificar nossa identidade regional. Ele é orgulho da cultura montes-clarense, tendo se tornado um dos maiores expoentes da nossa música. O prefeito Humberto Souto se irmana com amigos e familiares neste momento de dor”, diz a nota.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =