Centenas de pessoas participaram na manhã deste sábado (29/6), em Montes Claros, de uma manifestação contra o candidato da extrema direita, Jair Bolsonaro (PSL). Esta manifestação faz parte do movimento “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro”, que surgiu a partir de um grupo fechado no Facebook, e foi criado para unir mulheres indignadas com o posicionamento político e plano de governo do candidato do PSL à presidência da República, deputado federal Jair Bolsonaro.

Para a professora Marilene Souza, a Leninha, que é candidata a deputada estadual, este ato é apartidário e contra o retrocesso que representa o candidato Bolsonaro. “O Brasil está repudiando este candidato machista, misógino, racista e homofóbico, e que não respeita as liberdades individuais e, sem qualquer proposta concreta, apenas se promove com discursos de ódio, o que é inaceitável”, disse a candidata do PT de Montes Claros.
Com uma articulação iniciada via redes sociais, mulheres de todo o País saíram às ruas neste sábado (29) na mobilização #EleNão, em referência ao candidato de extrema-direita à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL).

No Manifesto das Mulheres Unidas contra Bolsonaro, elas definem como as principais razões para as manifestações, o fato de Bolsonaro ter apoiado a reforma trabalhista, defender um modelo de segurança falido que causa o extermínio das juventudes negras, o preconceito contra LGBTs, suas declarações misóginas e o temor com a volta da ditadura militar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 14 =