A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, internada no sábado 6 no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (InCor), em São Paulo, após testar positivo para Covid-19, foi alvo de deboche de um grupo de médicos do Acre.

As mensagens vazaram De um grupo de Whatsapp chamado Médicos Unidos. Pelo menos três profissionais estão envolvidos no caso.

Na troca de mensagens, um médico chega a questionar: “Ué, não era vacinada?”, ao que outro profissional responde: “Coisas da vida, é da vacinação!”. Um terceiro autor ainda escreve “Tomara que os vírus da covid estejam bem”. As informações foram divulgadas pelo portal de notícias local ContilNet.

No domingo 7, um boletim médico divulgado pelo Incor atestava que a ministra seguia com quadro clínico estável e com boa evolução.

“A paciente permanece em acompanhamento pelo cardiologista Prof. Dr. Sérgio Timerman, pela infectologista Profa. Dra. Tania Mara Varejão Strabelli, e pelo Diretor de Divisão de Pneumologia do Incor, Prof. Dr. Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho”, prosseguia o documento.

Após o vazamento do caso, o Sindicato dos Médicos do Estado do Acre (Sindmed-AC) divulgou uma nota afirmando que o grupo “Médicos Unidos” não é administrado pela entidade. A diretoria do sindicato ainda prestou solidariedade à ministra Marina da Silva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + nove =