Os ministros Luiz Fux, Edson Fachin, Dias Toffoli e Luís Roberto Barroso, indicados por Lula e Dilma articulam reação para impedir anulação de processos de Moro

– O bloco lavajatista do Supremo Tribunal Federal (STF), integrado por Luiz Fux, Edson Fachin, Dias Toffoli e Luís Roberto Barroso, articula uma reação para impedir a anulação de processos sob comando de Sérgio Moro. O grupo quer impedir que a suspeição de Moro no processo contra Lula sirva para fazer justiça a outros condenados pela operação.

Segundo a jornalista Bela Megale, em sua coluna no jornal O Globo, o grupo passou a debater e articular uma estratégia de reação lavajatista.

A jornalista ainda acrescenta que os ministros avaliam que é “impossível” que Moro seja declarado suspeito só no caso de Lula e que muitos processos terão grandes chances de serem anulados. Mesmo reconhecendo a ilegalidade de toda a ação de Moro, o STF pode bloquear que as pessoas condenadas no âmbito da Lava Jato obtenham compensação pelas condenações injusta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − 2 =