Samuel Martins, que venceu a obesidade com a prática da corrida, é um dos estreantes na prova paulistana

Por Gian Marlon * – O Norte

Uma das mais tradicionais provas de rua no Brasil, a 94ª Corrida Internacional de São Silvestre, que acontece na próxima segunda-feira, 31, em São Paulo, terá entre os 30 mil corredores atletas montes-clarenses.

Na mochila, alguns carregam o peso de representar o Norte de Minas pela primeira vez – caso do auxiliar financeiro Samuel Martins, de 29 anos, que disputará a prova na categoria geral.

Há dois anos ele participa das principais corridas da cidade e na região. “A primeira corrida foi a do aniversário de Montes Claros – foram 5 km. Corri nas provas dos Santos Reis, Contra a Corrupção, Outubro Rosa e do Novembro Azul”, conta o atleta.

Ele diz que começou a correr em busca de qualidade de vida, pois pesava 140 kg e precisava mudar os hábitos. “Comecei a fazer caminhada, pedalar e acabei tomando gosto. A qualidade de vida melhorou e foi fundamental. Tomei gosto e não parei”, revela.

Samuel tem se preparado fisicamente – participou de um desafio de 24 km na serra, em que os atletas tentam superar os limites –, além de cuidar do psicológico e ter acompanhamento de fisioterapeuta. Ele espera ter boa participação e percorrer os 15 Km da São Silvestre.

“A expectativa é completar a prova. Será a realização de um sonho. Todo corredor sonha com isso. É fechar o ano com chave de ouro”.

A administradora de empresas Renata Araújo, de 40 anos, e o marido Luiz Paulo, de 37, capitão do Corpo de Bombeiros, começaram a correr há quatro anos. Para Renata, o contato com o esporte aconteceu pela necessidade de perder peso. “Tomei gosto e hoje é uma das maiores paixões”, declara. Ela reforça a importância de o atleta entender até onde o corpo pode chegar e também de trabalhar a disciplina. “A prática de esportes é qualidade de vida. A minha rotina de treinos e de reforço muscular é quase diária, mas respeitando os limites do corpo. Ao longo desses anos foram em torno de cem medalhas e alguns pódios”, diz.

Com bom humor, a administradora conta que ambos são corredores apaixonados e que participarão apenas para a superação pessoal. “Lá é tipo o sonho de todos os corredores. É um evento grande que envolve atletas de muitas partes do mundo. As expectativas são as melhores possíveis, enfrentaremos boas subidas e o calor de milhares de torcedores que ao longo do percurso nos incentivam a não desistir”, completa.

A PROVA
A largada é na avenida Paulista, próximo ao número 2.000, com chegada em frente ao prédio da fundação Cásper Líbero, também na tradicional via. No pelotão de elite participam 30 competidores estrangeiros da Etiópia, Bahrein, Quênia, Uganda, Tanzânia, Argentina, Equador e Bolívia.
* Estagiário sob supervisão do editor
* Com Agência Brasil

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 8 =