O Parque Municipal Cândido Canela, nos fundos do Terminal Rodoviário Hidelberto de Freitas, que tem uma área total de 18.337 (dezoito mil, trezentos e trinta e sete metros quadrados), está sendo construído no mesmo padrão do Parque Sagarana.

O trabalho de podas e limpezas do Parque Municipal Cândido Canela, criado recentemente pelo prefeito Humberto Souto, está sendo finalizado, para iniciar a construção da pista de caminhada e a iluminação. Toda a lenha que está sendo retirada daquele parque será doada para a Associação dos Carroceiros.

Para o secretário Paulo Ribeiro, o Parque Cândido Canela será construído nos mesmos moldes do Parque Sagarana, que foi recentemente inaugurado e vem atraindo centenas de pessoas diariamente, por causa da sua beleza e segurança.

“O Parque Cândido Canela, além de contar com uma localização de fácil acesso, tem uma arborização privilegiada. Por isso, ele está sendo preparado para receber uma ótima pista de caminhada, iluminação moderna e bancos feitos de troncos de árvores e artes fabricadas com sucatas e cipós, nos mesmos moldes do Parque Sagarana. Sem falar nas obras de artes, que deverão ser doadas pelos nossos artistas plásticos, que querem ver a nossa cidade cada dia mais bonita, e sonham com num ambiente agradável, com um clima ameno e arborizado”, profetizou Ribeiro.

Cândido Canela

O nome do Parque Cândido Canela é uma homenagem ao ex-vereador de Montes Claros, que foi um ardoroso defensor do meio ambiente, tendo sido o autor de uma pioneira Lei que proibiu a derrubada ou corte de pequizeiros, a Lei municipal n° 355 de 12 de abril de 1957, e que virou referência nacional. Atualmente, vários Estados e Cidades já proibiram o corte da árvore do Pequizeiro, caso de Minas Gerais, que declarou o pequizeiro, no Estado, como de preservação permanente, de interesse comum e imune de corte, através da Lei Estadual 10.883, de 1992.

Cândido Canela foi Tabelião do Cartório do 1° Ofício por quase 50 anos. Vereador à Câmara Municipal de Montes Claros por dois mandatos. Inspirado trovador, teve poemas transformados em música no país, cantado por duplas famosas e vencendo concursos em nível nacional. Além de ter sido poeta, ator e humorista satírico, Cândido Canela foi radialista, onde dirigia e apresentava o programa “Alma Cabocla” na Rádio D-7, que era o maior sucesso na cidade, naquela época

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − 5 =