Nos últimos anos, Jair Bala teve várias internações em decorrência de infecções pulmonares. A morte foi causada por um Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Morreu nesta terça-feira (27), aos 79 anos, o ex-atacante e ex-treinador Jair Bala, considerado o maior ídolo da história do América.

Nos últimos anos, Jair Bala teve várias internações em decorrência de infecções pulmonares. A morte foi causada por um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Desde a década de 2000, Jair Bala era integrante do programa Alterosa Esporte, da TV Alterosa, onde representava o América.

Jair Bala representou o América no programa Alterosa Esporte – foto: EM/DAPress

Natural de Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, o ex-atacante deu seus primeiros passos no futebol com a camisa do Estrela do Norte-ES. Passou também por Flamengo – onde ganhou o célebre apelido -, Botafogo, Comercial-SP, Ponte Preta, Cruzeiro, Palmeiras, XV de Piracicaba, Santos, Bahia e Paysandu. Entretanto, foi no Coelho que o centroavante encontrou o melhor momento de sua carreira.

Foram duas passagens pelo América: a primeira entre 1964 e 1965 e a segunda entre 1970 e 1971. Em ambas, Jair Bala conquistou o posto de artilheiro do Campeonato Mineiro, com 25 e 14 gols, respectivamente.

Ao todo, foram 78 gols em 144 jogos com a camisa do Coelho. Ele é o sexto maior goleador da história do América.

Em 1969, Jair Bala atuou ao lado de Pelé no Santos. Foi ele quem substituiu o Rei do Futebol no jogo em que marcou o seu milésimo gol, em 19 de novembro de 1969, na partida contra o Vasco, no Maracanã.

Sua magia dentro dos gramados rendeu crônicas de diversos gênios da escrita, tais como Nelson Rodrigues e Roberto Drummond.

“Se Jair fosse simplesmente Jair, estaria apodrecendo na obscuridade. A toda hora, em toda parte, nós esbarramos, nós tropeçamos num Jair qualquer. (…) Desde o primeiro minuto do jogo, foi uma arma apontada para o peito do inimigo. E todos percebemos que nunca um Jair fora tão bala. É a autenticidade dos apelidos, que nunca existe nos nomes”, descreveu Nelson Rodrigues a respeito do talento de Jair Bala, em 1963.

Na crônica, Nelson Rodrigues faz referências ao apelido de Jair Bala. A história curiosa deste nome aconteceu em 1960, quando o então Jairzinho foi ao escritório das categorias de base do Flamengo para pedir um “bicho”. Willian, funcionário do clube rubro-negro, empunhou uma arma para, numa brincadeira, tentar fazer o garoto mudar de ideia. No entanto, ao abaixar o revólver, houve um disparo acidental e a bala tocou no solo antes de acertar a coxa esquerda do jovem jogador. Os médicos acharam por bem não retirar o projétil, já que não havia atingido nenhum órgão vital.

 

O América lamentou, em nota, a morte de Jair Bala

O América Futebol Clube lamenta profundamente o falecimento de Jair Félix da Silva, o eterno Jair Bala, ídolo máximo do Coelho, que nos deixou nesta terça-feira, 27 de dezembro de 2022.
Capixaba de Cachoeiro do Itapemirim, Jair Bala iniciou sua trajetória pelo América em 1964. Logo em seu primeiro ano de clube, foi o artilheiro do Campeonato Mineiro e desfilou todo seu talento com a armadura americana. Em sua segunda passagem, já no início da década de 70, deixou seu nome eternizado na história ao ser o craque da inesquecível conquista invicta do Campeonato Mineiro de 1971. Sua trajetória está para sempre na memória americana e seus 78 gols marcados o tornaram o 6º maior artilheiro de todos os tempos do Coelho.
Após sua vitoriosa carreira como jogador, marcada também pela parceria com o Rei Pelé no Santos-SP, Jair Bala também deu sua contribuição ao futebol no cargo de treinador. O ídolo também marcou seu nome comandando o América, sendo até hoje o terceiro técnico que mais esteve à frente do time americano: 232 jogos.
Ao fim de sua carreira como jogador, seguiu engrandecendo o pavilhão do América até o fim de sua vida. Uma de suas atribuições foi a de comentarista esportivo, defendendo o Clube por décadas no programa Alterosa Esporte, da TV Alterosa, filial do SBT em Minas Gerais.
Nos últimos anos, Jair Bala vinha lutando e, recentemente, estava internado no Hospital Felício Rocho após sofrer um Acidente Vascular Cerebral. O ídolo esteve em coma nesse último mês e, nesta terça-feira, não resistiu.
Via EM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + vinte =