O renomado artista Jurandyr Czaczkes Chaves, mais conhecido como Juca Chaves, faleceu na noite de sábado (25/3) no hospital São Rafael, em Salvador, onde estava internado há 15 dias devido a problemas respiratórios. O hospital confirmou a morte do artista, mas a família pediu privacidade e não divulgou mais detalhes sobre o ocorrido. Juca Chaves será cremado no Cemitério Bosque da Paz, em Salvador, neste domingo (26/3) às 16h.

Conhecido como “O Menestrel Maldito”, Juca nasceu em 22 de outubro de 1938 no Rio de Janeiro, mas vivia em Salvador com a família. Ele iniciou sua carreira em 1955, na TV Tupi, em São Paulo, com um humor ácido e inteligente que incluía críticas sociais. Ao longo de sua carreira, Juca enfrentou perseguições durante a Ditadura Militar e viveu seis anos fora do Brasil, em Portugal e Itália.

Além de humorista, Juca também era compositor e músico. Ele era autor de várias músicas que se tornaram sucessos no Brasil, incluindo “A cúmplice”, “Menina”, “Que saudade” e “Presidente Bossa Nova”. Ele também chegou a se candidatar ao Senado pela Bahia em 2006, usando da poesia e do humor para pedir votos, mas não foi eleito.

Juca deixa sua esposa, Yara Chaves, e duas filhas, Maria Morena e Maria Clara. O artista era torcedor do São Paulo e costumava convocar o público com uma de suas frases célebres antes das apresentações: “vá ao meu show e ajude o Juquinha a comprar o seu caviar”. Com 60 anos de carreira, Juca Chaves divertiu plateias por todo o Brasil com seu humor inteligente e sua música, deixando um legado inesquecível para a cultura brasileira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + onze =