Deputado federal é réu no STF sob a acusação de corrupção passiva por ter recebido R$ 2 milhões do empresário. Aécio diz que foi empréstimo

Metrópoles – Em suas alegações finais no processo que investiga o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) por corrupção passiva em suposto recebimento de propina, o Ministério Público Federal (MPF) pediu a condenação do parlamentar, candidato a presidente da República pelo PSDB em 2014.

Além disso, o MPF defende a devolução dos R$ 2 milhões repassados ao parlamentar pelo empresário Joesley Batista, um dos donos da J&F, e o pagamento de uma multa de R$ 4 milhões (dividida com sua irmã, Andrea Neves), como forma de “reparação dos danos morais decorrentes da corrupção”. Os procuradores querem ainda que Aécio perca seu mandato de deputado federal.

Esse processo é fruto de uma delação de Joesley Batista, que gravou o então presidente do PSDB, em 2017, lhe pedindo R$ 2 milhões para pagar despesas com sua defesa na Operação Lava Jato.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =