* Por João Figueiredo

A nossa qualidade de vida depende do que fazemos com a natureza ao nosso redor.

Um antigo professor da Unimontes, Omar, hoje falecido, dizia que a natureza sempre se vinga de toda agressão contra ela: com inundações, secas causticantes, vendavais, temporais, enfim, todo mal que fazemos a ela nos é devolvido…

Uma das agressões mais comuns contra a natureza está na forma que descartamos o lixo que produzimos. Eis aqui um exemplo do que está sendo feito na comunidade de Espigão de Cima. As lixeiras coletivas estão cheias de lixo solto, desensacado, inclusive lixo orgânico; os matagais estão cheios de lixo sintético, inclusive sob os pequizeiros.

Ora, lixeiras coletivas são para acomodar lixo sintético para que o caminhão o leve para o Aterro Sanitário. Matagais devem ser preservados para permitir o desenvolvimento da flora e da fauna local, para um convívio sustentável conosco. Mato sem lixo produz ar puro!

NA ROÇA, LIXO ORGÂNICO DEVE SER TRANSFORMADO EM ADUBO E LIXO SINTÉTICO DEVE SER COLOCADO NAS LIXEIRAS COLETIVAS. É uma questão de civilização, uma questão de educação, é um ato de cidadania cuidar para que lugar continue agradável e saudável para se viver, para nós, nossos netos, bisnetos, trinetos, etc. É preciso aprender a viver em sociedade, ser educado e ensinar, pelo exemplo, civilização e educação às gerações futuras.

* Jornalista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + dois =