Sei que posso e estou consciente. Português é difícil e procuro ser eclético. O texto é sobre o vício, sem A.

Os vícios podem ser percebidos em muitos homens e mulheres. Entorpecentes, doces, remédios, ir e vir sempre pelo mesmo rumo, costumes repetitivos, tudo isso é vício.

O primeiro é o peito. Depois, vêm os outros. Temos que ter discernimento e conhecimento porque esse tormento doe em quem tem vício e muitos, próximos, sofrem.

Existem médicos e feiticeiros que prometem tudo. Uns creem nisso. Outros têm Deus como socorro. Enfim, é possível ser livre dos vícios. Determine em si próprio e renegue gole, jogos, muito sexo, tudo sem controle.

Pensem bem: nós podemos decidir sobre o presente e o futuro. Por isso, sempre que tivermos desejos viciosos, contemos: um, dois, três. Pronto, refletindo, seguimos em frente, sem sofrer.

Ser feliz é o princípio de tudo que queremos. O vício impede muitos de serem felizes. Eu mesmo sofri com este tormento, mesmo sendo consciente dos erros. Esforcei e deixei o vício (muito gole) em 2023. Escrevo este texto e espero contribuir com os que sofrem com este erro terrível e desejo que melhorem, se possível, eu e eles, libertos de vez.

Terminei o texto.

Quem escreveu? repórter Pedro Neto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 4 =