– O prefeito Humberto Souto denunciou, ontem (03/02), que estão tentando criar chácaras na Serra do Mel, no Ibituruna, em Montes Claros, e, por isso, determinou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente que adote as medidas necessárias para impedir que isso ocorra.

 Ele fez a denúncia durante a solenidade de assinatura de convênios com nove entidades para aplicação dos recursos do Fundo Municipal de Meio Ambiente. A promotora Aluísia Beraldo Ribeiro estava no evento e explicou que esperará qualquer medida a ser adotada para tomar providências. O secretário municipal de Meio Ambiente, Paulo Ribeiro, anunciou que a área será transformada em área de proteção ambiental.

No final de 2016 o então prefeito José Vicente Medeiros tombou a Serra do Mel e, com isso, impediu que a área fosse loteada. Porém, o prefeito Humberto Souto explica que foi procurado pelo grupo empresarial que pediu licença para fazer o loteamento. O pedido foi rejeitado. Agora, segundo ele, estão anunciando o chacreamento do local, para depois de criadas essas chácaras, passar a dividir as áreas, instalando um loteamento. A denúncia surpreendeu até mesmo a promotora Aluísia Beraldo, que estava no recinto. Souto explicou que a área é intocável e, por isso, já recomendou que fosse reprovado qualquer projeto neste sentido.

Na manhã de ontem, foi realizada a solenidade de repasse dos recursos do Fundo Único de Meio Ambiente (Famma), para apoiar projetos que visem o uso sustentável dos recursos naturais, manutenção, melhoria e recuperação da qualidade ambiental, pesquisa e atividades ambientais de controle, fiscalização e defesa do meio ambiente, através de entidades e ONGs que foram contemplados nas áreas de educação ambiental, revitalização de microbácias, gestão de resíduos sólidos, pesquisa e desenvolvimento e projetos especiais de relevância ambiental.

Através da Comissão do Conselho Municipal de Defesa e Conservação do Meio Ambiente (Codema), foram analisados e selecionados diversos projetos apresentados por entidades e organizações não governamentais (ONGs), recebidos após publicação de um edital de chamamento público, oriundos do Fundo Único de Meio Ambiente (FAMMA), com o objetivo principal de contribuir para a promoção do desenvolvimento sustentável e melhoria da qualidade de vida da população do município, no perímetro urbano e na zona rural. Ao todo, serão beneficiadas diretamente cerca de 600 famílias, além das ações que serão desenvolvidas em prol de todos os segmentos da sociedade.

Os projetos classificados e suas respectivas entidades são: Para Além da Prisão – PAP/Legião de Assistência Recuperadora/LAR; Para Colher, Basta Reciclar/Associação Comunitária de Tabuas; Captação de Água da Chuva na Escola Municipal Du Narciso; Hortas Urbanas e Plantas Medicinais/Associação Recanto das Hortaliças, na Vila Antônio Narciso e Grande Santos Reis; A Semente Florescerá/Escola Municipal Alfredo Soares da Mota; Guarujá Ambiental, com coleta seletiva porta a porta/Associação Comunitária do Bairro Guarujá; Meu Melhor Amigo, Educar para Cuidar/Apelo Canino; Educação Ambiental e Gestão de Resíduos Sólidos/Igreja Batista Esperança e Vida; Projeto de Pequenas Barraginhas de Captação de Água de Chuva/Associação Comunitária de Varginha da Onça.

Via Girleno Alencar – Jornal Gazeta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 19 =