Instabilidade dentro e fora de campo – Time chegou a três jogos consecutivos sem balançar as redes na Libertadores

O técnico Levir Culpi vive o momento de maior pressão desde que voltou ao comando do Atlético, em outubro do ano passado. Após a suada vaga na fase preliminar da Copa Libertadores conquistada no fim de 2018 e as classificações nas eliminatórias do torneio continental contra os uruguaios Danubio e Defensor, o time alvinegro caiu de rendimento no início da fase de grupos. Depois de derrotas para Cerro Porteño, no Mineirão, e Nacional, no Gran Parque Central, em Montevidéu, o trabalho do treinador começa a ser questionado.

Desde que mudou a equipe, Levir viu o rendimento ofensivo cair. Com a saída do velocista Chará e a entrada de mais um volante, o time parou de balançar as redes. Já são três jogos consecutivos sem balançar as redes.

A sequência é preocupante. Em seus trabalhos anteriores, Levir teve equipes com características ofensivas. Na passagem anterior pelo Atlético, foram 113 partidas e 183 gols marcados – média superior a 1,6 por jogo.

Além da mudança feita, que diminuiu o rendimento do ataque, o torcedor atleticano está irritado com a manutenção de algumas peças no time. Os mais questionados são o lateral-direito Patric e o volante Elias. O treinador mostra confiança nos atletas, que foram titulares em todos os duelos da Copa Libertadores.

Levir não é mais um cara legal?

Quando deixou o Atlético em novembro de 2015, Levir disse aos jornalistas que queria ser reconhecido como ‘um cara legal’. Em 2019, no entanto, o treinador tem se mostrado impaciente em algumas entrevistas coletivas.

Após a derrota para o Nacional, na última terça-feira, o treinador foi seco nas respostas. Numa delas, um jornalista o questionou sobre a queda de rendimento do time nos segundos tempos das partidas. “Isso eu posso até concordar. E daí!?”, limitou-se a dizer Levir Culpi. O Atlético realmente piorou na etapa complementar e viu o centroavante Bergessio, aos 26’, sacramentar o 1 a 0.

Antes, Levir Culpi foi questionado por um repórter uruguaio sobre as poucas chances recebidas pelo compatriota David Terans no time titular ao longo da temporada. O meia-atacante deixou o Danubio-URU, em 2018, como um dos principais goleadores do Campeonato Uruguaio.

“O motivo foi que eu pensei outras coisas, tá? Se você pensa que o Terans tem que jogar, eu pensei que ele não tinha. Foi por esse motivo que ele não jogou”, irritou-se Levir.

Apesar dos questionamentos, Levir Culpi segue firme no comando do Atlético. A equipe alvinegra volta a campo no próximo domingo, às 16h, contra o América, no Mineirão. O jogo é válido pela 10ª rodada do Campeonato Mineiro.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × dois =