Prejuízo seria superior a R$ 1,2 milhão; Geelison Ferreira da Silva alega inocência

O professor da Unimontes e ex-prefeito de Brasília de Minas, Geelison Ferreira da Silva (MDB), e quatro secretários municipais foram indiciados por organização criminosa, desvios de recursos públicos e corrupção ativa e passiva. Segundo a Polícia Civil (PC), o prejuízo para os cofres públicos pode passar de R$ 1,2 milhão.

As investigações apontaram que o esquema envolvia a contratação de veículos e máquinas pesadas, por uma cooperativa, com desvio de recursos por falsificação de notas fiscais. Alguns dos serviços contratados eram prestados em partes e outros sequer chegavam a ser feitos.

Geelison foi candidato à reeleição em 2020. Ele também é acusado de, em menos de um ano de mandato, ter adquirido oito lotes à vista em valores que chegam a quase R$ 300 mil. O salário dele como prefeito somou-se pouco mais de R$ 120 mil.

Procurado pela Itatiaia, Geelison Ferreira informou, por nota, estar surpreso com o indiciamento. Segundo ele, as denúncias já haviam sido investigadas na Câmara Municipal de Brasília de Minas e apuradas por uma auditoria especial realizada na prefeitura.

Geelison alega que as duas concluíram pela ausência de elementos indicadores de fraude, prejuízo à municipalidade ou vantagem ilícita obtida por agente particular.

*ECN, com informação da Itatiaia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 1 =