O reacionário religioso assumiu o lugar de Roberto Jefferson, que teve candidatura ao Palacio do Planalto impugnada pelo TSE

Uma personagem chamou a atenção no debate com os presidenciáveis na noite deste sábado (24) no SBT: Padre Kelmon (PTB) que, com trajes que remetem à Igreja Ortodoxa, ele assumiu o lugar de Roberto Jefferson, que teve o registro de sua candidatura ao Palácio do Planalto rejeitado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na chapa presidencial do Partido Trabalhista Brasileiro.

Padre Kelmon, batizado Kelmon Luis da Silva Souza, tem 45 anos e é natural de Acajutiba (BA). Kelmon se autodefine como “homem cristão, conservador e de direita, que sempre se dedicou à igreja e ao combate da esquerda no país.

Na Bahia, Kelmon é tido como uma liderança dos movimentos fundamentalistas e ajudou a fundar o Movimento Cristão Conservador e lidera o Movimento Cristão Conservador Latino-Americano (Meccla).

Desde 2003, Padre Kelmon se diz vinculado à Igreja Ortodoxa. No entanto, aqui reside uma polêmica em sua biografia, pois, nunca foi sacerdote da referida matriz católica no Brasil.

Porém, mesmo não sendo reconhecido sacerdote pela igreja ortodoxa do Brasil, ele celebra missas e batismo na Bahia.

Mas, no ano passado Padre Kelman rebateu as acusações de que não seja sacerdote das igrejas de comunhão ortodoxa no Brasil e declarou que possui documentos que comprovam a sua ordenação em 2015 e que tais acusações “são retaliações”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − 7 =