Até a maçonaria, que foi patrona do golpe, ovacionou a golpista num evento realizado na Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene, para discutir soluções para crise hídrica no Norte de Minas

 Durante reunião sobre a Mobilização pela Revitalização dos Recursos Hídricos, realizada na noite de segunda-feira, 20, em Montes Claros, organizada pela Maçonaria com as presenças de várias entidades de classe e 12 deputados, sendo sete federais e cinco estaduais, a golpista deputada Raquel Muniz foi vaiada e humilhada.
Tudo começou quando a parlamentar, famosa por citar o marido Ruy Muniz — que acabou preso quando era prefeito de Montes Claros, acusado de corrupção — no discurso em que anunciou ser favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, e que responde a um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, extrapolou seu tempo e exigiu que sua fala fosse maior do que as dos demais, por ser mulher e do Norte de Minas.

Como a regra determinava o mesmo tempo para todos, a ainda deputada ignorou tal determinação e continuou com suas verborreias. Neste momento, a plateia começou a vaia-la pedindo para encerrar o discurso. Como ela insistiu com suas falácias, a maioria dos participantes viraram as costas para a parlamentar, causando um grande constrangimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 10 =