A sexta-feira 13 foi marcada pelas prisões de dois políticos: ex-deputado federal e presidente do PTB, Roberto Jefferson, e a ex-deputada federal Flordelis dos Santos Souza. Roberto Jefferson, por causa de ataques antidemocráticos às instituições. Flordelis, por ser acusada pelo Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) de ser a mandante do assassinado do marido, o pastor Anderson do Carmo de Souza, ocorrido em 2019.

O presidente do PTB foi transferido na tarde de sexta-feira para o presídio de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A prisão foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Equipes da Polícia Federal cumpriram pela manhã mandado de prisão preventiva do acusado.

De acordo com Moraes, Jefferson faz parte de uma milícia digital especializada em atacar o Supremo, seus ministros e demais instituições. As diligências fazem parte de um novo inquérito aberto pelo ministro. No YouTube e nas redes sociais, o ex-deputado aparece empunhando armas e ameaçando os ministros, assim como pregando o fechamento do Supremo.

Flordelis
A ex-deputada Flordelis teve sua prisão requerida pelo Ministério Público. Na última quarta-feira (11), a Câmara dos Deputados cassou seu mandato por quebra de decoro. Ela foi presa na noite desta sexta-feira. Em agosto de 2020, ela e outras dez pessoas foram denunciadas pelo assassinato, em 2019, de Anderson do Carmo de Souza, então marido da parlamentar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 1 =