Em desempenho ‘fenomenal’, o Valladolid empatou em três a três com o Espanyol e ‘conquistou’, em três anos de gestão Ronaldo ‘Fenômeno, o segundo rebaixamento em ‘La Liga’.

Um Bi que só não foi Tri porque entre os dois fracassos o clube se viu obrigado a disputar a segunda divisão.

O Valladolid selou seu destino ao permitir-se transformar em vitrine do ex-jogador.

Aliás, menos do que isso.

O correto seria tratá-lo como ‘balão de ensaio’, espécie de laboratório para testes de atletas que não vingaram em lugar nenhum.

No Brasil, também pelas mãos de Ronaldo, o Cruzeiro segue pelo mesmo caminho.

Só não está pior porque é muito maior do que o ‘irmão’ espanhol.

Aos poucos, o ‘fenômeno’ está se desfazendo, com enorme lucro, dos percentuais que amealhou do clube a custo ínfimo, sob promessa de concluir o restante do pagamento somente se houver lucro na operação.

Segundo o balanço de 2023, em 2022 houve prejuízo.

Certamente não para o bolso de Ronaldo, seja pela valorização do que já revendeu ou pela generosidade dos intermediários com quem negociou.

Blog do Paulonho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + 19 =