A Santa Casa de Misericórdia de Montes Claros, ligada à Igreja Católica, foi proibida pela Justiça Eleitoral de fazer politicagem em benefício do seu superintendente, Maurício Sérgio Sousa e Silva, pré-candidato a prefeito da cidade pelo PL. Várias publicações foram excluídas do site do hospital, por ordem judicial.
A Santa Casa tem mais de 400 leitos, sendo 80% deles destinados ao atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). São realizados, mensalmente, mais de 100 mil procedimentos – 1,5 milhão/ano. Além disso, emprega 2,1 mil funcionários, sendo 450 médicos e outros profissionais que compõem os corpos clínico, assistencial e administrativo.
Nos últimos meses, em razão do ano eleitoral, a instituição virou birô eleitoral, com uso político escancarado em favor do seu superintendente. Em razão disso, a medida foi adotada pela Justiça Eleitoral, excluindo do site oficial as publicações dos dias 27 e 28 de abril e de 8 de maio. As postagens faziam propaganda política expressa a Maurício.
Enquanto isso a Santa Madre Igreja cruza os braços e faz ouvidos de mercador, diferentemente do que faz com os padres que querem participar da política.

Qualé Dom! Vai continuar permitindo o uso politico na Santa Casa, até quando? (Dom José Carlos e Maurício Sérgio – Fotos: Divulgação)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 10 =