Jair Bolsonaro não pode entrar em restaurantes porque se recusou a se vacinar contra a covid-19

Jair Bolsonaro, que fez campanha contra a vacinação no Brasil e é chamado de genocida no Brasil e no mundo, passou vexame em Nova York, onde foi obrigado a comer pizza na rua, com sua comitiva, porque não pode entrar em restaurantes. A cidade não aceita que pessoas não vacinadas entrem em ambientes fechados. A cena representa mais uma humilhação internacional para o Brasil, que vem tendo sua imagem internacional destruída desde o golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff e a posterior ascensão do fascismo. Confira algumas reações:

“Bolsonaro representa o orgulho de ser vira-lata”, diz Alex Solnik

Jornalista criticou a postura de Jair Bolsonaro, que não tomou banho e teve que comer pizza na rua em Nova York por não ter comprovante de vacina para entrar em estabelecimentos fechados. “Onde já se viu uma comitiva presidencial comendo na calçada? É um orgulho de ser vira-lata. Orgulho de ser pária”, disparou

O jornalista Alex Solnik criticou em sua análise no programa Bom dia 247 desta segunda-feira (20) a postura de Jair Bolsonaro, que chegou a Nova York para participar da Assembleia Geral da ONU, não tomou banho no hotel e teve que comer pizza na rua, pois não possui passaporte da vacina para entrar nos estabelecimentos fechados.

“Não é apenas um vexame internacional. Onde já se viu uma comitiva presidencial comendo na calçada? É um orgulho de ser vira-lata. Orgulho de ser pária, orgulho de não ser vacinado”, disparou Solnik.

“Vivemos uma situação mundial de pandemia, milhões de mortos, e vem um presidente de umas das maiores potências mundiais, que não se vacina, e que leva o ministro da Saúde a participar desse vexame. É algo inédito na história internacional”, avaliou ainda o jornalista.

Ele ainda afirmou que “essa foto deve estar circulando no mundo todo e todos devem estar espantados”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =