O ministro Humberto Martins, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), encaminhou nesta semana ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma ação contra o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), que sugeriu criminosamente que o presidente Lula fez “vista grossa” diante da ação terrorista em Brasília no 8 de janeiro para “poder posar de vítima”. Diante do desgaste crescente de Jair Bolsonaro, o oportunista mineiro já tenta se apresentar como alternativa da extrema-direita para a eleição presidencial de 2026. Nos últimos tempos, Romeu Zema tem radicalizado seu discurso.E

Em seu despacho, o magistrado alegou que o caso deve ser julgado pelo STF que já apura outras iniciativas contra as instituições democráticas do país. “Martins enfatizou que caberá ao Supremo avaliar as declarações do governador mineiro e apontar a necessidade ou não de aplicar alguma punição. A ação ficará sob relatoria do ministro Alexandre de Moraes, responsável pelas investigações dos atos golpistas impetrados por vândalos bolsonaristas. Ela foi movida pelos deputados federais Zeca Dirceu (PT-PR) e Reginaldo Lopes (PT-MG), que recorreram ao STJ para que Romeu Zema prove as ‘ilações’ feitas contra Lula”, registra o site UOL.

O oportunista mineiro

O empresário Romeu Zema foi reeleito governador de Minas Gerais no primeiro turno em outubro passado. Ele teve 56,18% dos votos válidos, contra 35,08% de Alexandre Kalil (PSD), o ex-prefeito de Belo Horizonte apoiado por Lula. Oportunista convicto, ele disfarçou que sua meteórica carreira política se deu na onda bolsonarista para ludibriar os eleitores. Na véspera da eleição de 2018, ele gravou vídeo com o slogan “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. Ao final, ouvia-se o grito “Bolsozema”, em referência ao seu apoio declarado ao fascista Jair Bolsonaro.

Já na disputa do ano passado, temendo o crescimento da campanha de Lula, principalmente no norte mineiro, ele se travestiu de “neutro” para surtar na chamada onda “Luzema”. Agora, porém, o malandro volta a assumir sua postura de extrema-direita, destilando veneno e disparando fake news. De forma cada vez mais agressiva, o ultraneoliberal tenta herdar os votos e os apoios de Jair Bolsonaro, o “fujão” contrabandista de joias. Ele tem pressa para se cacifar como candidato dos agrotrogloditas e da cloaca burguesa urbana.

Via Blog do Miro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =