Segundo matéria do jornal O Globo, Aécio Neves faz uma exigência sobre a pessoa recebedora da propina. O dinheiro seria usado para pagar a defesa do senador mineiro justamente nos processos da Lava Jato nos quais ele é implicado.

 – Gravações feitas por Joesley e Wesley Batista, donos do frigorífico JBS Friboi, revelam que Michel Temer deu aval para o pagamento de propina para Eduardo Cunha – uma forma de comprar o silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados. Os empresários também gravaram o senador Aécio Neves – o parlamentar tucano pediu R$ 2 milhões em propina.

No entanto, o aspecto mais assustador das gravações é uma fala de Aécio. Segundo matéria do jornal O Globo, Aécio faz uma exigência sobre a pessoa recebedora da propina: “Tem que ser um que a gente mate antes de fazer delação”. O dinheiro seria usado para pagar a defesa do senador mineiro justamente nos processos da Lava Jato nos quais ele é implicado.

Aécio diz: “Vai ser o Fred, com um cara seu [Joesley]. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho”. O Fred a quem Aécio se refere é Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Neves e ex-diretor da Cemig – Medeiros foi um dos coordenadores da campanha do tucano a presidente em 2014.

Aécio foge do plenário ao saber que foi gravado pedindo propina
“Aécio Neves estava no plenário do Senado quando soube que foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista, dono da JBS. Olhou o celular, ficou lívido e deixou o prédio, apressado”, informa o jornalista Lauro Jardim; Aécio entra para a história como o derrotado que, ao não aceitar o resultado das urnas, jogou o Brasil na maior crise de sua história e que morre, como corrupto, nos últimos capítulos

Propina de Aécio foi paga a Perrella, dono do helicoca


O senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi gravado pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, pedindo R$ 2 milhões.

Segundo denúncia feita pela Globo na noite desa quarta-feira 17, o dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, em cena filmada pela Polícia Federal. A PF rastreou o dinheiro e descobriu que ele foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG).

A família de Perrella é dona do helicóptero com cocaína encontrado com 445 kg de cocaína no Espírito Santo, e que ganhou o apelido de helicoca.

O jornal O Globo informa que em duas oportunidades em março desse ano, Joesley conversou com Michel Temer e com o senador tucano levando um gravador escondido. Os irmãos Joesley e Wesley Batista foram hoje ao STF fazer as denúncias ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato na Corte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 2 =