A barragem 14 de Julho, localizada entre os municípios de Cotiporã e Bento Gonçalves, ambas no Rio Grande do Sul, rompeu parcialmente nesta quinta (2) por conta das fortes chuvas que atingem o estado desde o início da semana. O governo estadual avalia que o problema não deve resultar em uma enxurrada, já que o nível do rio já estava elevado.

Barragem 14 de julho rompeu parcialmente nesta quinta (2). Foto: Reprodução

A Defesa Civil emitiu um alerta por volta das 15h desta quinta comunicando que a barragem está “em processo de colapso”. Autoridades já vinham fazendo a evacuação da região e fornecido apoio aéreo, segundo o governador Eduardo Leite (PSDB).
“Recebi a notícia do rompimento de parte da barragem 14 de Julho em Cotiporã. Como a jusante e a montante já estavam quase no mesmo nível, com uma diferença de alguns poucos metros, a informação dos especialistas dão conta de que o efeito será sentido mais no primeiro trecho”, afirmou Leite.

Carro coberto pela enchente na cidade de Encantado (RS). Foto: Diego Vara/Reuters

O órgão ainda pediu para que moradores de sete cidades busquem abrigos públicos ou locais seguros para se proteger durante a elevação do rio Taquari: Santa Tereza, Muçum, Roca Sales, Arroio do Meio, Encantado, Colinas e Lajeado.
“As pessoas que não tiverem locais alternativos devem buscar informações junto à Defesa Civil da sua cidade sobre os abrigos públicos disponibilizados pelas prefeituras, rotas de fuga e pontos de segurança”, afirmou a Defesa Civil.
O estado já registrou 24 mortes e ao menos 21 pessoas desaparecidas por conta dos temporais, segundo a Defesa Civil. No total, há 147 municípios afetados, com inundações, alagamentos e habitantes ilhados em várias cidades, com 9.993 desalojados e 4.599 em abrigos.

Veja vídeos:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + 5 =