Fim do sonho! Nos pênaltis, o Uruguai levou a melhor por 4 a 2; Rochet defendeu uma cobrança de Militão e Douglas Luiz mandou uma bola na trave

Arrascaeta comemora gol na vitória do Uruguai sobre o Brasil na decisão de pênaltis – (foto: Ethan Miller / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)

Acabou o sonho. No primeiro desafio do técnico Dorival Júnior numa competição mata-mata, a Seleção Brasileira foi eliminada pelo Uruguai nas quartas de final da Copa América de 2024. As equipes empataram sem gols no tempo regulamentar e a vaga para a semifinal foi decidida nos pênaltis, na noite deste sábado (6/7), no Estádio Allegiant, em Las Vegas, nos Estados Unidos.
Nos pênaltis, o Uruguai levou a melhor por 4 a 2. Rochet defendeu uma cobrança de Militão e Douglas Luiz mandou uma bola na trave. Alisson ainda pegou uma cobrança de Giménez, mas não foi o suficiente para evitar a eliminação.
Agora o Uruguai vai encarar a Colômbia na semifinal. Os colombianos se classificaram em primeiro lugar no Grupo D, com sete pontos. Já os uruguaios tiveram campanha irretocável no Grupo C, com nove pontos e 100% de aproveitamento.
Para chegar à semifinal, a Colômbia goleou o Panamá, por 5 a 0, em Glendale, também neste sábado.

Raça e disposição, mas sem emoção
O confronto mais esperado das quartas de final da Copa América teve um primeiro tempo insosso e pouco inspirado. Não faltou, no entanto, marcação acirrada de ambos os lados. Uruguai e Brasil protagonizaram 47 minutos de uma etapa inicial truncada, com diversos desarmes, divididas e encaradas entre os jogadores, porém, poucas finalizações em direção ao gol (duas dos brasileiros e nenhuma dos uruguaios). Um primeiro tempo, inclusive, equilibrado. Tanto é que as equipes se igualaram na posse de bola: 50% para cada. Vontade e raça não faltaram. Entretanto, a qualidade técnica na construção das jogadas deixou a desejar. Uma partida truncada e sem criatividade. A melhor chance do Uruguai foi com uma cabeçada de Darwin Nuñez por cima do travessão. Aos 34′ minutos, o atacante recebeu cruzamento livre na grande área, saltou com categoria, mas bateu na bola com a lateral do rosto mandando para fora, sem ameaçar Alisson.
No mesmo minuto, a Seleção Brasileira também desperdiçou uma oportunidade numa saída rápida de bola. Raphinha dominou no meio-campo e avançou em disparada. O atacante do Barcelona passou por um zagueiro na velocidade, mas ao finalizar na grande área chutou em cima de Rochet.

Expulsão muda a cara do jogo
Os primeiros minutos do segundo tempo seguiram com a mesma intensidade da etapa inicial, mas novamente sem emoções para o torcedor. A Seleção Brasileira ofereceu mais trabalho à defesa uruguaia, porém, sem efetividade. A cara do jogo mudou bastante com a expulsão do lateral-direito Nández, do Uruguai, aos 28′. O uruguaio deu uma solada no pé de Rodrygo, e o árbitro aplicou o cartão amarelo. O lance, contudo, foi revisado pelo VAR por causa da agressividade do defensor. Sendo assim, Dario Herrera o expulsou.
O Brasil de Dorival Júnior partiu para cima do adversário, que recuou. No entanto, sem criatividade, o esperado gol da equipe de Dorival não saiu e a partida foi para a decisão por pênaltis.

Disputa de pênaltis
Uruguai: Valverde (acertou), Bentancur (acertou), Arrascaeta (acertou), Giménez (Alisson defendeu) e Ugarte (acertou) Brasil: Militão (Rochet defendeu), Andreas Pereira (acertou), Douglas Luiz (na trave), Martinelli (acertou)

Uruguai 0 (4) x (2) 0 Brasil
Uruguai: Rochet; Nández, Ronald Araújo (José Giménez), Mathias Olivera e Viña (Sebastián Cáceres); Ugarte, Valverde e De La Cruz (Bentancur); Pellistri (Varela), Maxi Araújo e Darwin Nuñez (Arrascaeta). Técnico: Marcelo Bielsa.

Brasil: Alisson; Danilo, Éder Militão, Marquinhos e Guilherme Arana; Bruno Guimarães (Evanilson), João Gomes (Andreas Pereira) e Lucas Paquetá (Douglas Luiz); Raphinha (Savinho), Rodrygo (Gabriel Martinelli) e Endrick. Técnico: Dorival Júnior.
Motivo: quartas de final da Copa América
Local: Estádio Allegiant, em Las Vegas, nos Estados Unidos
Data: 6 de julho de 2024
Cartões amarelos: Ugarte, De La Cruz (Uruguai); Lucas Paquetá, João Gomes (Brasil)
Cartão vermelho: Nández (Uruguai)
Árbitro: Dario Herrera (ARG)
Assistentes: Juan P. Belatti (ARG) e Cristian Navarro (ARG)
VAR: Guillermo Pacheco (MEX)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × quatro =