A Câmara Municipal analisa projeto de lei do vereador Rodrigo Cadeirante que propõe reduzir o custo aos cofres públicos da Medalha de Ouro concedida anualmente a personalidades que se destacam por serviços prestados a Montes Claros.

Ao invés de ouro maciço, como é atualmente e que eleva o valor da comenda para algo entre R$ 20 mil a R$ 40 mil, o parlamentar sugere que a peça seja apenas banhada, o que reduziria seu custo para no máximo R$ 400.
“Considero justa a homenagem e apoio o reconhecimento a essas pessoas que tão bem fazem à nossa cidade. Mas, questiono o valor, que é bancado pela população”, argumentou Rodrigo. Ele observa que o homenageado não está preocupado com o fato de a medalha ser de ouro, mas sim fica orgulhoso e envaidecido pelo reconhecimento ao seu trabalho.
“Minha proposta é tão somente retirar o ouro da medalha, mas ela jamais perderá o brilho, nem ela nem o homenageado”, reiterou.
Dessa forma, segundo Rodrigo Cadeirante, seu recebimento tem caráter simbólico, se constituindo numa honraria de valor sentimental e inestimável. Citou a si próprio como exemplo, lembrando sua satisfação de já ter sido agraciado com a medalha de melhor vereador de Minas Gerais, que não tem valor monetário.
A Medalha de ouro de Montes Claros é a maior comenda do legislativo. É proposta pela Mesa Diretora e entregue ao homenageado em solenidade realizada em 3 de julho, aniversário da cidade.
Quando foi criada a comenda levava o nome de Medalha de Honra de Montes Claros, mudando posteriormente para Medalha de Ouro Ivan José Lopes, em homenagem póstuma ao médico e vereador que por duas vezes presidiu o Legislativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 4 =