Governador de Minas Gerais foi reeleito em primeiro turno nas eleições de 2022, em outubro, ao receber 56,18% dos votos válidos – Zema fez o juramento antes de ser empossado para o segundo mandato como governador
(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)

Romeu Zema (Novo) tomou posse neste domingo (1) para o segundo mandato consecutivo como governador de Minas Gerais. Em cerimônia na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte, Zema fez o juramento e assinou o termo de posse, sendo assim oficializado como chefe do Executivo estadual até 2026.

Ao lado de Zema, esteve o vice-governador eleito Professor Mateus (Novo). Neste ponto, há mudança em relação ao primeiro mandato: Mateus Simões ocupará a vaga de Paulo Brant (PSDB), que deixa o posto.

Em discurso de posse com duração de 20 minutos, Zema pontuou que o trabalho continua e que o segundo mandato é de sequência das ações já tomadas. “Após arrumar a casa e colocar o trem de Minas de novo nos trilhos, estamos prontos para fazer essa locomotiva acelerar. Com a experiência adquirida, agora em um cenário mais positivo de equilíbrio fiscal, meu compromisso é o de fazer nesses próximos quatro anos um governo muito melhor que o primeiro”, disse.

Ele também relembrou quando assumiu em 2019. “Com a mesma humildade que subi na tribuna desta Casa há quatro anos, aqui retorno para demonstrar que com trabalho, respeito ao dinheiro público, cortes de mordomias e escolhas de profissionais com competência técnica é possível, sim, fazer um governo diferente com o objetivo de transformar o Estado de maneira eficiente”.

Entre citações aos atos do primeiro mandato, abordando, Zema disse que Minas Gerais está no “meio do caminho” de um “protagonismo político”. Outro ponto foi o trabalho em conjunto com a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), ponto de embates num primeiro mandato.

“É agora, percorrendo esse caminho, que podemos influenciar o futuro que deixaremos para os mineiros. A saída já ficou pra trás, é parte do passado. A chegada é uma meta. Mas a nossa travessia está em curso e ela será bem mais rápida e bem-sucedida se estivermos todos juntos, no mesmo barco, remando na mesma direção. Muitos dos desafios que enfrentaremos nesse novo governo só serão superados com o apoio desta Casa legislativa”, completou.

No evento, estavam presentes diversas personalidades políticas, como Fuad Noman, prefeito de BH, e Gabriel (sem partido), vereador belo-horizontino e presidente da Câmara Municipal da capital mineira. Chamou atenção que o deputado estadual reeleito Antonio Carlos Arantes (PL) – vice-presidente da ALMG – conduziu os trabalhos, não o presidente Agostinho Patrus (PSD).

Agostinho e Zema foram tidos como rivais no primeiro mandato, de 2019 a 2022. O deputado estadual não seguirá no posto para a legislatura de 2023 a 2026 e vai integrar o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG).

Governador de Minas Gerais, Zema foi reeleito em primeiro turno nas eleições de 2022, em outubro, ao ter 56,18% dos votos válidos. Logo após a cerimônia de posse, ele foi reconduzido ao cargo em nova solenidade no Palácio das Artes, também na capital mineira.

EM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =